Estátua

23 de nov de 2009
A mão que balança o berço
A mesma que acaricia
A pele, rosa, macia
Do amor não revelado

Este lado, outro lado
E tudo em si resolve-se
E a mão que o berço balança
Toma ao corpo a criança
Que chora, inconsolável

1 comentários:

Joanna disse...

Excelente, meu quirido!
Clap, clap!

Bjoz!